Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • |
  • Fonte +
  • Fonte -
  • /governosp
  • Informar erro
alt da foto

Abertura

12 Nov / 14:00

Visitação

12 Nov - 21 Jan

Exposições em cartaz
voltar

Vídeo substantivo feminino

exposição sobre videoarte na Pinacoteca de São Bernardo do Campo

Visitação: terça, das 9h às 20h; quarta à sexta, das 9h às 17h; sábado, das 10h às 16h (até 21/01/23)  

Local: Pinacoteca de São Bernardo do Campo  

Endereço: R. Kara, 105, Jardim do Mar, São Bernardo do Campo  

Contato: 2630-9600 e pinacoteca@saobernardo.sp.gov.br   

Ingresso: Gratuito   

Revelación, de Márcia Beatriz Granero

Abertura

12 Nov / 14:00

Visitação

12 Nov - 21 Jan

Exposições em cartaz
voltar

sobre a exposição

O Paço das Artes, em parceria com o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) – instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo –, levam para São Bernardo do Campo a exposição “Vídeo substantivo feminino”. A mostra, com inauguração em 12 de novembro, na Pinacoteca de São Bernardo do Campo, apresenta trabalhos de artistas contemporâneos. Além de conferir as obras, o público pode participar de encontros com a curadora, Márcia Beatriz Granero, e outros convidados. 

No total, a mostra conta com 12 trabalhos de videoarte que dialogam com o universo feminino. Os artistas participantes são: Ana Paula Mathias, biarritzzz, Barreira Y (Gisela Motta, Isabella Guimarães e Mariana Lacerda), Estela Lapponi, a dupla Lucila Meirelles e Augusto Calçada, Luiz Roque, Márcia Beatriz Granero, Kika Nicolela e Simone Michelin. A mostra permanecerá em cartaz na Pinacoteca de São Bernardo do Campo até 21 de janeiro de 2023.  

Além da exposição, estão previstos encontros abertos ao público nos quais serão compartilhados conteúdos e materiais sobre a videoarte contemporânea. Em 23/11, a curadora e videoartista, Márcia Beatriz Granero, convida as artistas Lucila Meirelles e Simone Michelin para conversa sobre o universo da videoarte na arte contemporânea brasileira, além de apresentar as obras e artistas que integram a exposição. A atividade, denominada “A videoarte no Brasil”, será realizada na própria Pinacoteca, entre 14h e 16h. 

Em 1º/12, o encontro “Acervos digitais: perspectivas e desafios” terá a presença da historiadora Débora Cristina Silva e da coordenadora de acervos do Paço e do Museu da Imagem e do Som, Patricia Lira. Na ocasião, serão abordados os documentos e obras digitais nas instituições de arte, seus desafios e perspectivas, desde a gestão da informação até o acesso ao público. Inscreva-se na atividade por meio deste link.

A curadora e convidadas  
Márcia Beatriz Granero é formada em artes visuais pela Belas Artes de São Paulo, videoartista, diretora, produtora e idealizadora do programa VideoArtePapo do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo. Seu trabalho autoral como artista visual é desenvolvido com Jaque Jolene, personagem criada e performada pela artista. Suas videoinstalações foram apresentadas em diversos espaços no Brasil e mundo afora como Londres, na exposição individual Pining for Pearls (2019), e na exposição Tabaroa, na Galeria Santa Clara em Portugal (2018). 

Lucila Meirelles é videoartista, pioneira da videoarte, performer, curadora, mestre em Poéticas Visuais. Suas videoartes, com prêmios nacionais e internacionais, nascem de situações limites unindo a poesia, arte e tecnologia. Também cria e dirige séries experimentais para a TV.  

Simone Michelin, artista gaúcha, investiga a formação da subjetividade e a natureza do espaço público contemporâneo, enfocando a trama entre Arte, Arquitetura, Comunicação e Tecnologia. Começou a trabalhar com fotografia no final dos anos 1970 e com videoarte em 1982, expondo no Brasil e exterior desde então. A partir de 1995, investiga a produção de imagens e espaços digitais e virtuais, que urdem o espaço social, constituindo linguagem como um entre-espaço, uma interface. Suas obras integram os acervos: CIFO, Miami; MIS_SP; MAR, RJ; MARGS, RS, entre outros. Recebeu o 2020 CIFO Grants & Awards; o 6º Prêmio Sérgio Motta de Arte e Tecnologia, 2006; RIOARTE Bolsa de Arte e Tecnologia, 2000, entre outros. Participou da Décima Bienal de Havana; VideoLinks Brasil, Tate Modern; Interconnect@, ZKM Center of Media Art, Alemanha; Bienal Emoção Art.ficial 2.0, São Paulo; MADE IN BRASIL, 30 anos de videoarte brasileira; A RUA, MKHA Museu de Arte Contemporânea da Antuérpia; Bienal do Mercosul, entre outras. 

Débora Cristina Silva é historiadora pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Atua no Paço das Artes como documentalista. Atuou como técnica em arquivo no Arquivo Histórico Municipal, no Museu da Imagem e do Som (MIS), no Memorial do Imigrante e no Arquivo Público do Estado de São Paulo.  

Patricia Lira é coordenadora de acervos do Paço das Artes e do MIS-SP. É mestre em Ciência da Informação pela ECA-USP, especialista em Gestão Arquivística pela FESP-SP e bacharel em História pela FFLCH-USP.  

visitação

De 12 de novembro a 21 de janeiro de 2023

abertura

12 de novembro - 14:00 horas