Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • |
  • Fonte +
  • Fonte -
  • /governosp
  • Informar erro
alt da foto

Início

10 Mai / 19:00

Período

10 Mai - 31 Mai

Cursos em cartaz
voltar

Modernismo desde aqui: as múltiplas faces do fenômeno moderno

Curso on-line

10, 17, 24 e 31 de maio, terças, das 19h às 21h

Vagas: 40 vagas

Valor: R$ 120,00

Descontos:
- 10% de desconto após a 1ª compra (cupom PACO10OFF)
- 30% de desconto na compra do 6º curso (enviar e-mail para cursos@mis-sp.org.br)
- Gratuidade na compra do 11º curso
- 50% de desconto para pessoas 60+ (cupom 60+50OFF, limitado a 5 vagas por curso, 1 por CPF)
- 50% de desconto para professores da rede pública de ensino do Estado de São Paulo (enviar e-mail para cursos@mis-sp.org.br com cópia do holerite atual mais documento de identidade. Limitado a 5 vagas por curso)

Local: As aulas acontecem on-line, ao vivo (pelo Zoom), e a gravação pode ser acessada por até uma semana após o último encontro, mediante solicitação.

INSCREVA-SE

Fachada com pôr-do-sol, André Ricardo, 2019

Início

10 Mai / 19:00

Período

10 Mai - 31 Mai

Cursos em cartaz
voltar

sobre o curso

Nas periferias do capitalismo, as ideias em torno da arte durante o Modernismo ainda orbitam a partir das referências e modelos oriundos das metrópoles colonialistas, adaptando esses padrões à realidade local. Entre nós, podemos observar a repetição desse fenômeno no microcosmo nacional. Na capital de São Paulo, que despontava como metrópole produtora das novas tendências artísticas e debates modernizantes, também havia diferentes renovações estéticas e políticas sendo produzidas nas periferias, e elas nem sempre convergiam com os ideais irradiados da capital.

O curso “Modernismo desde aqui:as múltiplas faces do fenômeno moderno”, ministrado pelo curador da exposição homônima que está em cartaz no Paço das Artes, pretende abordar o modernismo brasileiro a partir de uma perspectiva decolonial, colocando no centro do debate a heterogeneidade da produção artística proveniente da periferia da sociedade.

Aula 1 | Precedentes históricos. Irmãos Timótheo e Lima Barreto - Os modernistas que não consignam manifestos.

Aula 2 | A festa é a fresta, modos de organização social não canônicos. Rebeliões modernas.

Aula 3 | Na pintura: De personagem a protagonista - imagem do negro no modernismo.

Aula 4 | Reflexos na contemporaneidade - a periferia no centro.

INSCREVA-SE 

Sobre o professor
Claudinei Roberto da Silva, educador, artista visual e curador. Nasceu em 1963 em São Paulo onde vive e trabalha. Formado pelo Departamento de Arte da Universidade de São Paulo. Como curador realizou entre outras, a exposição Sidney Amaral “O Banzo, o amor e a Cozinha” 1º prêmio Funart para artistas e curadores negros – Museu Afro Brasil, a “13ª Bienal Naïfs do Brasil” no Sesc Piracicaba e a série “Pretatitude. Insurgências, emergências e afirmações. Arte afro-brasileira contemporânea” para várias unidades do Sesc São Paulo e curador convidado para o projeto de “Pesquisa MAC USP Processos Curatoriais - Curadoria Crítica e Estudos Decoloniais em Artes Visuais: Diásporas Africanas nas Américas”. Coordenou, entre outros, o Núcleo Educativo do Museu Afro Brasil. Foi coordenador Artístico Pedagógico do projeto multinacional “A Journey trough African diáspora” do American Aliance of Museuns em parceria com o Museu Afro Brasil e Prince George African American Museum. Foi Bolsista Programa “International Visitor Leadership Program” do Departamento de Estado do Governo dos Estados Unidos. Faz parte do conselho curatorial do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Tem obras no acervo do Museu Nacional de cultura afro-brasileira MUNCAB em Salvador Bahia.

período

De 10 de maio a 31 de maio de 2022

início

10 de maio - 19:00 horas

imprensa